Feed icon
Artigo

Alimentação da gestante reflete na saúde do bebê

Na fase que antecede a maternidade, seu corpo está fazendo o trabalho mais fenomenal do mundo – a criação de uma nova vida. 

5mins
para ler Jan 11, 2017

Veja por que a alimentação da gestante reflete na saúde do bebê

O feto em crescimento depende de você em tudo para se desenvolver. Por essa razão, os alimentos que você come, ou deixa de comer, durante esses nove meses são mais importantes do que nunca. De fato, pesquisas demonstram que os genes que você transmite ao seu filho são apenas parte da história – as opções nutricionais que você faz agora podem influenciar no peso do recém-nascido, além do bem-estar da criança, por muitos anos. Converse com seu médico ou nutricionista para descobrir a melhor opção para você.

Por que sua dieta é importante

Os cientistas mais conceituados concordam que a nutrição e o ambiente durante os primeiros 1000 dias de vida – da concepção até o segundo aniversário da criança – desempenham papel importante em sua saúde posterior. “Estamos efetivamente programando o risco futuro das crianças em relação às doenças crônicas, como obesidade, diabetes e distúrbios cardiovasculares”, explica o Dr. Sanjeev Ganguly, Pediatra e Chefe de Assuntos Médicos da Nestlé Nutrition. “A boa alimentação durante a gestação é uma questão de nutrir o corpo, para que você possa fornecer todos os nutrientes de que o feto necessita para crescer e se desenvolver de forma saudável.” 

Embora a satisfação de todas as necessidades nutricionais da criança possa parecer uma responsabilidade enorme, a boa notícia é que não se trata de nada tão complicado. Além disso, embora algumas grávidas talvez tenham dificuldade de atender às recomendações nutricionais, muitas outras só precisam fazer alguns pequenos ajustes em sua dieta habitual. Por isso, procure seu médico ou nutricionista para identificar as melhores opções para a sua condição.

Consuma alimentos ricos em nutrientes

Durante a gravidez, suas necessidades nutricionais mudam porque você está alimentando o feto em crescimento, além de seu próprio corpo. “Você precisa de aproximadamente 50% a mais de alguns nutrientes importantes para criar o melhor ambiente possível de apoio ao crescimento e ao desenvolvimento do feto”, explica o Dr. Ganguly. “Diversos nutrientes fundamentais, como ácido fólico, zinco e vitaminas A e B12, ajudam no apoio ao sistema nervoso em desenvolvimento do feto.” 

Uma dieta bem balanceada ajudará seu corpo em transformação a criar um ambiente nutritivo para o feto. É também fundamental que essa dieta proporcione à criança toda a nutrição necessária para um crescimento e um desenvolvimento saudáveis. Os nutrientes certos darão suporte ao crescimento do sistema imunológico, dos órgãos, dos ossos, dos olhos do feto e assim por diante.

“A cada porção de alimentos ricos em nutrientes que ingerir, você estará alimentando seu filho em crescimento e determinando um futuro mais saudável para ele”, diz o Dr. Ganguly. Isso não significa comer “alimentos saudáveis” raros e difíceis de encontrar – pequenas alterações podem fazer grande diferença, mas devem sempre ser discutidas com um profissional da saúde. O café da manhã com ovos e cereal fortificado, por exemplo, fornece zinco e também proteínas. O zinco é um mineral que ajuda na formação de um sistema imunológico saudável e as proteínas são os componentes básicos de diversos elementos essenciais, de enzimas a anticorpos. Um copo de leite ou uma porção de iogurte contém cálcio, que, em conjunto com a vitamina D, é a base da formação de ossos e dentes saudáveis. Uma fatia ou duas de torrada integral fornecem fibras e carboidratos, o combustível primário de seu organismo e do feto. A carne e o queijo aumentarão ainda mais a ingestão de proteínas. 

Controle seu peso

Ao contrário do velho ditado que diz que “a futura mãe come por dois”, você não precisa consumir nenhuma caloria extra durante o primeiro trimestre. Se mantiver um peso saudável inicial, você só precisará de cerca de 340 calorias a mais por dia durante o segundo trimestre. E de 450 durante o terceiro trimestre – o que equivale, aproximadamente, a um sanduíche mais meio copo de leite e uma maçã. “Com a ingestão de uma dieta nutricionalmente equilibrada, o aumento de peso adequado durante a gestação pode ser uma das questões relacionadas à nutrição mais importantes que você deve abordar para promover a saúde do seu filho ao nascer e até mesmo mais tarde”, explica o Dr. Ganguly. 

Assim, mantenha seu peso em uma faixa saudável e fique de olho na balança durante a gravidez, junto ao profissional da saúde que a acompanha. O índice de massa corporal (IMC) é frequentemente utilizado pelos profissionais da saúde porque leva em consideração a altura, além do peso. Calcule seu IMC e depois confira a tabela apresentada a seguir para ver o aumento de peso recomendado para você. O ganho adequado de peso durante a gravidez também pode reduzir o risco de ter um bebê muito pequeno (por ganhar pouco peso) ou muito grande (por ganhar peso excessivo). 

Tabela de peso na gravidez

* Os cálculos presumem aumento de peso de 0,5 a 2 kg no primeiro trimestre. 
As faixas recomendadas de aumento de peso incluem todas as mulheres (como as mulheres baixas, além de grupos raciais ou étnicos diferentes).

“Os hábitos alimentares saudáveis que você estabelecer agora terão influência positiva na saúde de seu filho, e essa influência poderá durar até a idade adulta dele”, reitera o Dr. Ganguly. “Sendo assim, avalie suas opções alimentares e dê ao seu filho o melhor início de vida possível.”

Cinco formas simples de dar ao seu filho um impulso para uma vida mais saudável

  1. Torne-se saudável: mantenha-se em atividade todos os dias, controle seu peso, evite cigarros, não consuma bebidas alcoólicas e estabeleça uma dieta balanceada, sempre acompanhada por um profissional da saúde.
  2. Pergunte ao seu médico: sobre a necessidade de tomar um suplemento multivitamínico e mineral durante a gravidez. 
  3. Não coma por dois: se você mantiver um peso saudável inicial, não precisará de calorias a mais durante os primeiros três meses e só precisará de 340 a 450 calorias a mais, por dia, durante os últimos seis meses. 
  4. Não exagere: grandes quantidades de cafeína podem aumentar o risco ( qual? ) na gestação, portanto limite o consumo de chá e de café.  
  5. Mantenha uma dieta rica em nutrientes: consuma carnes vermelhas, vegetais de folhas verdes e feijão para aumentar a ingestão de ferro, que pode ajudar no desenvolvimento da medula espinhal, do cérebro e dos glóbulos vermelhos do feto; ovos, carnes, grãos integrais e cereais fortificados são recomendados para aumentar a ingestão de zinco e dar suporte ao sistema imunológico; leite e produtos lácteos fornecem cálcio, que fortalece os ossos.