MyFeed Personalized Content
6 a 8 meses
Artigo
Add this post to favorites

Vou viajar e estou preocupada com o que levar para alimentar meu bebê

Viajar em família é sempre muito bom! E deve ser um momento de alegria e tranquilidade, para que se aproveite cada minuto ao lado de quem se ama!

3mins para ler Fev 17, 2022

Entretanto, quando se tem um filho pequeno, uma das preocupações é “o que levar para alimentar meu bebê durante a viagem?”

Uma das dicas para se manter a tranquilidade na hora de alimentar seu bebê pode ser unir a praticidade e segurança, e manter parte da alimentação bem parecida com aquilo que o bebê tem costume de comer em casa.

Segue algumas dicas que vão lhe ajudar:

  1. Manter os horários das refeições mais próximos dos que se pratica em casa com o seu bebê.
  2. Levar os utensílios que o bebê já está acostumado para ofertar os alimentos, por exemplo, sua colher e seu copinho, devidamente higienizados.
  3. Optar por porções de alimentos pequenas e que possam ser transportadas em segurança.
  4. Sempre ter em mãos diferentes opções de alimentos, pois caso seu bebê recuse uma delas, você terá como oferecer outro alimento que goste.

E quando se pensa no que dar num horário de almoço, por exemplo, logo vem na mente de muitos pais “o que oferecer” durante a viagem!

Papinhas NaturNes® pode ser uma aliada durante esse momento em família! Além da praticidade e segurança que oferecem, são feitas com ingredientes naturais, sem adição de sal* e açúcares** e pensadas para os bebês.1-3

Seu sistema de fechamento a vácuo e o tratamento térmico garantem a qualidade dos ingredientes do potinho, sem uso de conservantes*** e aromatizantes, sem a necessidade de congelamento ou refrigeração das papinhas.1,2

Tanto as papinhas de refeições como as de frutas, podem ser servidas em temperatura ambiente. Contudo, se estiver em um hotel ou local que possa aquecer a papinha refeição, basta abrir e colocar no micro-ondas sem a tampa por 20-30 segundos, mexendo na metade do tempo.

As porções de cada potinho são adequadas as necessidades do bebê1, além de ter uma variedade de sabores que atende as preferências1 e se aproximam da “comidinha feita pela mamãe”, deixando mães e pais mais tranquilos.

Gostou das dicas e quer saber mais informações, navegue pelo nosso site e veja artigos correlacionados.

As dicas não substituem uma consulta médica ou do nutricionista. Não deixe de consultar o pediatra ou o nutricionista de seu filho para obter orientações individualizadas.

 

*Contém sódio próprio dos ingredientes.
**Contém apenas açúcares próprios dos ingredientes.
***Assim como todo alimento de transição para lactentes e crianças de primeira infância e cereais infantis.

AVISO IMPORTANTE

“O MINISTÉRIO DA SAÚDE INFORMA: APÓS OS 6 (SEIS) MESES DE IDADE, CONTINUE AMAMENTANDO O SEU FILHO E OFEREÇA NOVOS ALIMENTOS”

Referências

  • 1. Sociedade Brasileira de Pediatria. Manual de alimentação da infância à adolescência. 4a ed. 2018.

  • 2. Fewtrell, M. et al. Complementary Feeding: A Position Paper by the European Society for Paediatric Gastroenterology, Hepatology, and Nutrition (ESPGHAN) Committee on Nutrition, Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition: January 2017 - Volume 64 - Issue 1 - p 119-132.

  • 3. Ministério da Saúde. Guia Alimentar para crianças brasileiras menores de 2 anos. Brasília, 2021.