CSS - followUS_icons

CSS_Brands_Megadropdown menu

CSS - Páginas Especiais

CSS - BabyandMe POPIN

esconder navegacao

estilo para links e listas

esconder rendimento e cooking time

Intolerância à Lactose e Diarreia


Intolerância à Lactose e Diarreia

Intolerância à Lactose e Diarreia Intolerância à Lactose e Diarreia Intolerância à Lactose e Diarreia

A intolerância a lactose é um assunto que gera muitas dúvidas em pais e mães. Vamos entender mais sobre ela?

O que é a intolerância à lactose e por que acontece?

De acordo com a pediatra e alergista, Dra. Patrícia Fábregas, a intolerância à lactose ocorre quando o corpo não consegue digerir o principal carboidrato do leite: a lactose. Para ser digerido, esse carboidrato precisa ser quebrado por uma enzima chamada lactase. Quando o bebê ou criança não produz a quantidade suficiente de lactase ou não a produz totalmente, pode-se dizer que ele tem intolerância à lactose primária.

Quais são os sintomas de intolerância à lactose e quando começam a aparecer?

Quando a lactose não é digerida devido à deficiência da enzima lactase, ela ficará no intestino e sofrerá fermentação pelas bactérias, o que pode promover os seguintes sintomas:

  • Inchaço
  • Distensão abdominal
  • Cólica
  • Gases
  • Diarreia
  • Assaduras

Geralmente, os sintomas de intolerância à lactose começam a aparecer após os 3 anos, porque naturalmente os nossos níveis de lactase vão diminuindo ao longo da vida.

Qual é a relação entre diarreia e intolerância à lactose?

Além da intolerância à lactose primária, os bebês e crianças podem apresentar a chamada intolerância secundária à lactose. Ela ocorre quando a criança tem uma gastroenterite viral que causa diarreia, promovendo uma lesão no intestino e dificultando a absorção da lactose por algum tempo, explica Dra. Patrícia. A intolerância à lactose secundária é transitória, pois a criança volta a absorver a lactose normalmente após alguns dias ou semanas.

Como a diarreia pode promover a intolerância à lactose secundária, é importante saber como identificá-la. A diarreia é definida por uma mudança no padrão normal de evacuações. Os cuidadores devem ficar atentos à quantidade de evacuações por dia e a consistência do cocô na fralda, observando as seguintes características:

  • Cocô mais líquido que o normal;
  • Cor diferente do habitual;
  • Cheiro mais intenso;
  • A fralda não consegue segurar o cocô, vazando para a roupa do bebê.

Quando o bebê tem diarreia, sua fralda deve ser trocada assim que estiver suja. Recomenda-se colocar pomada contra assadura e manter o bebê sempre limpo e confortável para que possa se recuperar mais rápido.

Qual a diferença entre alergia à proteína do leite de vaca e intolerância à lactose?

A diferença entre APLV e intolerância à lactose é que o primeiro ocorre por uma reação alérgica à proteína do leite de vaca e pode causar, além da diarreia, sintomas como vermelhidão e coceiras na pele e problemas respiratórios, enquanto o segundo ocorre por uma falta de enzima, o que pode causar gases, vômitos, cólica, distensão abdominal e assadura.

Intolerância à lactose tem cura?

A intolerância à lactose primária, por deficiência de lactase, acontece por uma questão genética e por isso não tem cura. Mas, realizando as modificações de dieta adequadas, consegue-se levar uma vida praticamente normal.

Devo me preocupar quando meu filho apresentar sintomas?

Pais, mães e cuidadores devem ficar atentos ao comportamento de suas crianças para observarem não apenas a diarreia, mas todos os outros sintomas já mencionados. Acompanhar os sintomas e relatar ao pediatra é fundamental, pois ele poderá fazer o diagnóstico de intolerância à lactose.

Mas fiquem tranquilos. Ao descobrir que seu filho possui intolerância primária à lactose, basta seguir as recomendações do médico. Se fizer algumas alterações/ modificações dietéticas de forma adequada, não comprometerá o crescimento, desenvolvimento ou ganho de peso da criança.

As dicas não substituem uma consulta médica. Não deixe de consultar o pediatra do seu filho para obter orientações individualizadas.

Um agradecimento especial à médica pediatra que colaborou para este Pergunte ao Médico:

Dra. Patrícia Fábregas

Pediatra e Alergista

Título de especialista em pediatria pela SBP

Residência de alergia e imunologia no Hospital dos Servidores do Estado

Título de especialista em alergista pela ASBAI

As mães comentam este artigo0/5
Buscar

Ainda não encontrou
o que você estava procurando?

Experimente o nosso novo e inteligente mecanismo de busca. Nós sempre teremos algo para você.