Feed icon
Artigo

Teste do pezinho: para que serve e qual a sua importância

O teste do pezinho é um dos procedimentos mais conhecidos na área da saúde. Com apenas um furinho no pé, esse exame, junto com diversos outros, é responsável por detectar diversas doenças e tornar um tratamento preventivo possível.

3mins
para ler Mar 25, 2021

Ele é muito simples, acessível, gratuito e oferecido pelo SUS e não dá trabalho algum, já que é feito assim que o bebê nasce, fazendo parte da triagem neonatal. Porém, muitas mães e pais não conhecem a importância do teste do pezinho, para que ele serve nem quais doenças ele pode detectar. Entenda mais sobre exame e fique por dentro da saúde do seu filho.


Hipotireoidismo e doença falciforme são detectadas pelo teste do pezinho

O teste do pezinho tem a capacidade de detectar cerca de seis doenças, no geral, embora em redes privadas, outras versões do teste consigam captar mais comorbidades. Entre as principais, figuram o hipotireoidismo congênito, que consiste na dificuldade da glândula da tireóide em produzir hormônios que regulam o funcionamento do metabolismo, e deve ser tratada com reposição hormonal. Outra doença que pode ser detectada pelo exame é a anemia falciforme, doença sanguínea grave que, se detectada e tratada precocemente, pode garantir a qualidade de vida da criança, mas pode ser fatal se não descoberta a tempo.

Deficiência mental e microcefalia podem ser evitadas

Existem outras doenças detectadas pelo teste do pezinho e que, se descobertas a tempo, podem evitar problemas graves no futuro. A fenilcetonúria, por exemplo, é uma patologia que atinge diretamente o cérebro, podendo causar deficiência mental. A deficiência de biotinidase pode causar microcefalia, crises epilépticas e atraso no desenvolvimento psicomotor. Em ambos os casos, a detecção precoce pode ser fundamental para reverter o caso e evitar os efeitos das doenças.

Fibrose cística: doença grave pode ser tratada

A fibrose cística, uma das doenças também verificadas pelo teste do pezinho, é uma doença crônica grave que atinge todo o sistema digestivo, os pulmões e o pâncreas, causando obstruções que podem levar a uma série de infecções que não se curam. Não tratada, a fibrose cística costuma ter uma alta taxa de letalidade, mas se detectada com antecedência, pode ser tratada de forma adequada e aumenta as chances de vida e de bem-estar ao longo dos anos da criança.

Outras doenças que podem ser detectadas

Nas redes privadas, o teste do pezinho pode ser ampliado, garantindo a detecção de mais doenças. Nestas, estão incluídas a toxoplasmose, doença passada de mãe para filho que pode causar problemas de visão e convulsões; a rubéola congênita, que pode causar surdez, cegueira e problemas de má-formação cardíaca e a doença de Chagas, que causa anemia e problemas psicomotores no recém-nascido.